top of page

A LEI DA CAUSALIDADE

A LEI DA CAUSALIDADE

Cabalá Para Estudante


Nós devemos tomar tempo para entender este conceito importante. Isto é, como nós

existimos neste mundo como uma entidade de egoísmo enquanto que cada um de

nós sente que é um ser especial que age de acordo com sua própria vontade,

independente de forças externas e desconhecidas, e como esta entidade de egoísmo

se revela em nossa mente?

 É verdade que existe uma conexão geral entre todos os detalhes da realidade

que é posta diante de nós, que vai de acordo com a Lei da Causalidade, através da

Causa e Efeito. Assim como isto é verdade ao geral, é também verdade para cada

indivíduo em particular. Isto é, toda Criação no mundo, de todos os tipos –

Inanimado, Vegetativo, Animado e Falante – é sujeito à Lei da Causalidade, através

da Causa e Efeito.

 Além disso, cada forma individual e tipo de comportamento da Criação,

enquanto exista, é motivado pelas causas precedentes que o compelem a se

comportar desta forma e não de outra. E isto é óbvio para qualquer um que observe

os sistemas da natureza puramente cientificamente sem qualquer envolvimento

pessoal. Nós precisamos analisar isto cuidadosamente para examiná-lo de todos os

aspectos e ângulos.


QUATRO FATORES


Saiba que tudo que vem a existir às Criações do mundo é um resultado não da

“existência a partir da ausência”, mas da “existência a partir da existência”. Isto é,

através de uma entidade real que foi removida de sua forma anterior e vestida em

sua forma atual.

Assim, nós precisamos entender que tudo no mundo possui Quatro Causas até vir

a existir. Todas quatro juntas determinam seu ser, e elas são chamadas:

a) A Fundação.

b) As condutas de Causa e Efeito que são associadas com as características da

Fundação e que não mudam.

c) Suas condutas internas de Causa e Efeito, que mudam através do contato

com forças externas.

d) As condutas de Causa e Efeito através das forças externas que influenciam

de fora.

E eu as explicarei uma por uma.


A) A PRIMEIRA CAUSA: A FUNDAÇÃO, O PRIMEIRO ASSUNTO


A “fundação” é a Primeira Substância relacionado a este ser, pois “não há nada novo

abaixo do sol” (Eclesiastes 1:10). E tudo que acontece no nosso mundo não é

“existência a partir da ausência”, mas “existência a partir da existência”. De modo

que é uma entidade que despiu sua forma anterior e tomou uma forma diferente,

diferente da forma que era anteriormente.

E esta mesma entidade que foi despida de sua forma anterior é definida pela

palavra “Fundação”, que contém a forma potencial que será revelada no futuro e

também a forma final do ser dado será determinada. Portanto, ela deve ser

considerada a Primeira Causa em relação ao ser.


B) A SEGUNDA CAUSA: CAUSA E EFEITO PROVENIENTES DAS

CARACTERÍSTICAS DE SUA FUNDAÇÃO


Esta é a conduta da Causa e Efeito que se relaciona com as condutas da própria

Fundação, que não muda. Por exemplo, um grão de trigo que foi decomposto na

terra e se tornou uma semente plantada. Este estado de decomposição é chamado

“Fundação”. Isto é dizer que a essência do grão de trigo se despiu de sua forma

anterior, que é a forma de um grão de trigo, e tomou uma nova forma, a do grão

decomposto do trigo, que é a semente chamada a “Fundação”, que não tem forma.

Após se decompor no solo ela é capaz de assumir qualquer outra forma, a de um talo

de trigo que pode crescer da Fundação, que é a semente.

 É sabido a todos que esta Fundação não tomará a forma de qualquer outro

grão, como a aveia, mas apenas a que se correlacione com sua forma anterior que ele

se despiu – a do grão de trigo. Embora ela se difira de certas formas em termos de

qualidade ou quantidade em termos do sabor ou beleza – onde em sua forma

anterior era apenas um grão de trigo e agora é um talo de trigo com dez grãos de

trigo – a forma básica, a do trigo, não muda.

 Nós temos aqui um sistema de Causa e Efeito que se relaciona às condutas

da própria Fundação e nunca muda, já que o trigo não produzirá aveia, como nós

explicamos. E isto é chamado a Segunda Causa.


C) A TERCEIRA CAUSA: CAUSA E EFEITO INTERNAS DA FUNDAÇÃO


Esta é a conduta da Causa e Efeito interna da Fundação, onde a mudança ocorre

devido ao contato com forças externas em seu ambiente. Por exemplo, nós podemos

encontrar que um grão de trigo que se decompôs no solo produz muitos grãos de

trigo, alguns dos quais possam ser até mesmo maiores e melhores do que o grão

original de trigo.

 Segue-se que aqui nós temos forças ambientais adicionais que participam e

combinam com o potencial oculto na Fundação. Esta Causa muda em qualidade e

quantidade, que não existe na forma anterior do grão de trigo. Estes são os

fertilizantes e minerais no solo, a chuva, o Sol, todos dos quais agem nele dando-lhe

seu poder ao potencial imbuído na própria Fundação, que através das condutas de

Causa e Efeito trazem a proliferação da qualidade e quantidade em sua manifestação.

 Precisamos entender que esta Terceira Causa combina com a Fundação

internamente, porque o potencial imbuído na Fundação é a mais forte, de forma

que no fim todas as mudanças não se aplicam do reino do trigo, ou seja, as mudanças

se aplicam apenas às espécies de trigo e não a outras espécies. Portanto, nós as

definimos como “causas internas”, e elas são diferentes da Segunda Causa que não

mudam de forma alguma. Isto não é verdade na Terceira Causa, que muda em

termos de quantidade e qualidade.


D) A QUARTA CAUSA: CAUSA E EFEITO POR FORÇAS EXTERNAS


Esta é uma conduta de Causa e Efeito através de forças externas que agem sob ele de

fora. Isto significa que elas não têm relação direta ao trigo como o Sol ou a chuva.

Estes são fatores estranhos, tais como outras plantas próximas a ele, ou

acontecimentos externos tais como o granizo, o vento etc.

 Assim, encontramos que estas Quatro Causas se combinam no grão do trigo

ao longo de seu crescimento. E cada estado individual que o grão de trigo passa é

determinado por todos os quatro. A qualidade e quantidade do trigo são

determinadas por elas. Assim como com o trigo que nós descrevemos, a lei se aplica

a todo tipo de manifestação no mundo, mesmo pensamentos e consciência.

 Por exemplo, se nós descrevermos o estado mental de uma pessoa, tal como

uma pessoa religiosa, ou uma pessoa secular, seja ela extremamente religiosa ou

extremamente secular, ou medíocre, nós entendemos também que este estado é

determinado pelas Quatro Causas acima mencionadas.


POSSESSÕES HEREDITÁRIAS


A Primeira Causa é a Fundação, que é a Primeira Substância. Já que uma pessoa é

criada como “existência a partir da existência” isto é, do fruto das mentes de seus

pais, nós encontramos um certo nível de similaridade ou duplicação, como a

duplicação de um livro. Isto é dizer que quase todas as características encontradas

nos pais e dos pais dos seus pais é duplicada no filho.

 Porém, a diferença está no despir da forma. Assim como o grão de trigo não

está pronto para brotar até que se decomponha no chão e seja despido de sua forma

anterior, também a gota de sêmen da qual uma pessoa nasce não tem nada da forma

de seus pais – apenas forças potenciais ocultas.

 Os traços mentais dos pais se tornam meras tendências, que são chamados

instintos, ou hábitos, e a pessoa nem mesmo sabe porque ela se comporta da forma

que faz, porque estes são, de fato, forças ocultas que ela herdou de seus pais. Não

apenas nossas propriedades físicas são herdadas de nossos pais, nós também

herdamos propriedades espirituais deles. Nós herdamos as ideias espirituais e

intelectuais de nossos pais, que passam de geração a geração.

 Disto surgem todos os tipos de tendências que são encontradas entre as

pessoas, tais como a tendência de acreditar ou criticar, a tendência de estar satisfeito

com uma vida materialista ou ser atraído a ideias espirituais e rejeitar a vida que não

é desejada, ser avarento ou indulgente, corajoso ou tímido.

 Todas estas características vistas nas pessoas não são propriedades que elas

adquiriram por si mesmas – elas são simplesmente características que foi herdade de

seus pais e ancestrais. Como os psicólogos sabem, há um lugar especial na mente

humana que guardam estas características inerentes, e é chamado de Môach

HaMeoréch (medula alongada), ou o subconsciente, onde todas estas tendências são

reveladas.

 No entanto, como a consciência de nossos pais, que foi adquirida através de

suas experiências, se tornaram meras tendências em nós, elas são como o grão de

trigo que se despiu de sua forma anterior e foi deixado nu, e apenas suas forças

potenciais estão prontas para assumir novas formas. Em nosso caso, as características

podem tomar a forma de consciência, que são consideradas como a Primeira

Substância e a Primeira Causa que nós chamamos de a Fundação, contendo todas

as tendências que são herdadas dos pais. Isto é chamado de “herança parental”.

 Saiba que todas estas tendências, algumas vêm em uma forma negativa. Isto

é, o oposto de sua manifestação em seus pais. Por esta razão, é dito que o que está

oculto no coração do pai é revelado no filho abertamente.

 E a razão para isto é que a Fundação se despe de sua forma anterior para

tomar uma nova forma. Portanto, ela pode estar muito próxima de perder as formas

da consciência dos pais, como o grão de trigo que se decompõe no solo e se despe

de toda a forma que ele tinha como um grão de trigo. Porém tudo isto depende das

outras Três Causas, como eu mencionei acima.


INFLUÊNCIA DO AMBIENTE


A Segunda Causa é a conduta de Causa e Efeito que se relaciona diretamente com

as propriedades da própria Fundação e que não mudam. Ou seja, retornando à nossa

analogia do grão de trigo que se decompõe no solo, a Fundação está sujeita a forças

ambientais tais como a terra, minerais, chuva, o ar e o Sol, como nós explicamos

acima. Todas estas agem sobre a semente através de uma longa cadeia de Causa e

Efeito, estado após estado, até que o trigo amadureça.

 Então a Fundação retoma sua forma anterior, a do trigo, embora diferindo

em qualidade e quantidade. Em um aspecto geral, não há mudança, o trigo não se

torna aveia ou centeio. Mas certas mudanças individuais ocorrem em quantidade,

isto é, de um grão de trigo crescem dez ou vinte grãos, e também em qualidade, o

trigo pode ser melhor ou pior do que o grão-mãe do trigo.

 Da mesma forma, o indivíduo como uma Fundação é determinado pelo

ambiente, isto é, a sociedade, e ele é necessariamente influenciado por ela assim

como o grão de trigo é influenciado por seu ambiente. A Fundação está apenas em

sua forma básica, e portanto, através de um contato contínuo com seu ambiente e

sociedade, ele é influenciado por eles gradualmente, através de uma série de

situações, uma após a outra por ordem de Causa e Efeito.

 Neste momento, as tendências que são parte de sua Fundação mudam e

assumem aspectos conceituais. Por exemplo, se ele herda a tendência de ser

mesquinho dos seus pais, quando ele crescer ele constrói para si mesmo um sistema

de pensamentos e ideias que o permitem tirar a conclusão que é bom ser mesquinho.

Nós já sabemos que mesmo se seu pai for generoso, ele pode ainda herdar a

tendência oposta e se tornar mesquinho, já que o oposto é também herdado assim

como a própria característica.

Ou ele pode herdar a tendência de ser mente aberta, e construir para si

mesmo um sistema de pensamentos através dos quais ele atraia a conclusão que é

bom para a pessoa ser livre.

Então de onde ela tira suas declarações e formas de discussão e debate? Ela

tira todas elas de seu ambiente involuntariamente, já que eles influenciam suas

opiniões e sabores através de uma série gradual de Causa e Efeito de tal forma que a

pessoa pensa que elas são suas próprias inclinações que ela adquiriu através de seu

livre pensamento.

Mas isto é também como o grão de trigo. Há uma parte geral dele que não

deixa de ser a Fundação, isto é, no fim ele mantém as tendências que ele herdou.

Eles são os mesmos como eram em seus pais, e isto é chamado a Segunda Causa.


HÁBITO TORNA-SE SEGUNDA NATUREZA


A Terceira Causa é uma conduta de Causa e Efeito direta, que a Fundação passa e

pela qual ela muda. Porque as tendências herdadas são mudadas pelo ambiente em

ideias, elas agem nas mesmas direções que são determinadas por estas ideias. Por

exemplo, um nascido mesquinho cuja tendência e mudada por seu ambiente em

uma ideia que entende a mesquinhez de acordo com alguma definição conceitual.

 Vamos dizer que através desta definição conceitual ele assume que se protege

através deste hábito para não ser dependente dos outros. Fazendo isto, ele atinge

uma escala para sua mesquinhez, e agora ele é capaz de abandoná-la quando a

realidade daquele medo não estiver presente.

 Encontramos que, da característica que ele herdou de seus pais, ele mudou

para melhor. Então algumas vezes ele pode desenraizar uma tendência negativa de

dentro de si mesmo completamente, através do hábito, que tem a capacidade de se

tornar uma segunda natureza.

 Desta maneira, o poder do ser humano é mais forte do que o das plantas, já

que a única mudança que um grão de trigo passa é em termos dos detalhes de suas

características. Este não é o caso de um ser humano, que tem a capacidade de usar o

poder da Causa e Efeito de seu ambiente e desenraizar uma tendência e transformá-

la em seu oposto.


FATORES EXTERNOS


A Quarta Causa é a conduta de Causa e Efeito que afeta a Fundação através de coisas

completamente estranhas e age sobre ela de fora. Isto significa que estas coisas não

tem nada a ver com o sistema de crescimento da Fundação diretamente e afeta ele

apenas indiretamente. Por exemplo, questões monetárias, encargos ou os ventos etc.,

que têm dentro de si mesmos uma série gradual de estados de Causa e Efeito, que

fazem com que as ideias de uma pessoa mudem para melhor ou para pior.

 Assim, eu estabeleci Quatro Causas Naturais que todo pensamento e ideia

de cada ser humano é meramente um resultado. E mesmo se uma pessoa sentar e

estudar algo por um dia inteiro, ela não pode adicionar ou mudar ao que estas

Quatro Causas a proveram. Qualquer coisa que ela adicione é em termos de

quantidade, dependendo se seus poderes mentais são grandes ou pequenos. Isto não

é verdade em termos de qualidade, em que ela não pode adicionar nada, já que estas

causas determinam para nós o caráter e a forma da mente e conclusões sem nossa

volição, sem nos consultar. Desta forma nós estamos sujeitos a estas Quatro Causas,

assim como a argila nas mãos do oleiro.


LIVRE ESCOLHA


No entanto, quando examinamos estas Quatro Causas, nós encontramos que

embora nós sejamos muito fracos para desafiar a Primeira Causa, que é a Fundação,

nós ainda temos a capacidade e a livre escolha de nos proteger das outras Três

Causas, através das quais a Fundação muda em termos de detalhe particular e

algumas vezes também em geral. Ou seja, pelo hábito através do qual nós adquirimos

uma segunda natureza, como explicado acima.


O AMBIENTE COMO UMA CAUSA


O significado desta proteção é que nós sempre podemos mudar nosso ambiente –

nossos amigos, livros, professores e assim por diante. Da mesma forma, se uma

pessoa herda um talo de trigo de seu pai, ele pode crescer dezenas de talos dele, isto

é, apenas ao escolher um ambiente adequado para a “Fundação”, a terra rica que

tenha todos os minerais e elementos que possam nutrir o trigo e ajuda-lo a crescer

plenamente.

 Isto também é verdade do trabalho de uma pessoa, ao melhorar as condições

ambientais para que elas sejam condutivas ao crescimento. Um sábio pode fazer isto

intencionalmente e escolher as melhores condições, e ele encontrará a benção.

Enquanto que um tolo aceitará tudo que vier diante dele e sua semeadura será uma

maldição e não uma benção.

 Toda esta melhora e prosperidade dependem da escolha do ambiente

quando semear a semente. Mas uma vez que a semente é semeada no lugar escolhido,

a forma final do trigo já está determinada pelo nível de influência do ambiente.

 Assim é o caso com nosso assunto, pois é verdade que não há livre arbítrio

porque tudo é operado pelas Quatro Causas mencionadas acima. E nós somos

forçados a pensar e refletir nos assuntos de acordo com eles, sem nem mesmo um

pingo de poder para corrigir ou mudar, assim como o grão de trigo que foi semeado

em seu ambiente.

No entanto, nós temos livre arbítrio para escolher um ambiente do

princípio, através dos livros e guias que nos influenciam com boas ideias. E se nós

não desejarmos fazer isto, e nós aceitarmos qualquer ambiente que apareça, e lermos

qualquer livro que encontrarmos, nós certamente nos encontraremos em um

ambiente negativo ou desperdiçaremos nosso tempo em livros inúteis, que são os

mais abundantes e disponíveis. Através disto, ideias más e ruins são forças sobre nós

nos levando a pecar e cometer más ações pelas quais seremos certamente punidos,

não devido aos nossos pensamentos e ações ruins, sobre as quais não temos escolha,

mas devido a não termos escolhido um bom ambiente, já que nós certamente

temos uma escolha sobre isto, como nós explicamos.

Portanto aquele que faz um esforço para sempre escolher um bom

ambiente é digno de louvor e recompensa. Aqui também, isto não é devido aos

pensamentos e ações da pessoa, sobre os quais ela não tem escolha, mas devido aos

seus esforços em adquirir um bom ambiente que lhe leve aos bons pensamentos e

ações. É por isto que o Rabi Yehoshua Ben Perachia disse, “Faça para ti um Rav e

compre um amigo” (Avot, Capítulo 1, Mishná 6).



Posts recentes

Ver tudo

Carta Nº 1

Yehuda Leib HaLevi Ashlag (Baal HaSulam)/ Cartas Carta Nº1 2 de maio de 1922, Jerusalém Para meu amigo... Agora, ao meio-dia, recebi sua carta datada do dia oito do primeiro mês, e suas palavras sobre

827. A piedade fez a ocultação

827. A piedade fez a ocultação Deveríamos perguntar sobre as palavras: “Toda a terra está cheia de Sua glória”. Além disso, está escrito no Zohar: “Não há lugar vago para você”. O que isso significa?

Σχόλια


bottom of page