top of page

A Percepção Da Realidade Dentro De Uma Luz Simples.

Da Convenção no Chile 30/07/14, Rav Laitman


A Luz superior está em repouso absoluto, e o Criador é bom e benevolente. Isso significa

que nós estamos sempre na presença da Luz, o bem absoluto que nunca muda. Nós somos os

únicos que mudamos.

É possível orar apenas para minha própria correção. Pedir ao Criador para mudar é

absolutamente inútil, porque Ele é bom para todos, sem exceção, e não pode ser de outra forma.

A percepção correta da realidade é o entendimento de que não pode haver mudança na Luz e

nem mesmo em nós, mas em mim sozinho. Porque a forma como eu sinto cada um no mundo e

todas as mudanças que todo mundo sofre são determinadas apenas pela forma como eu mesmo

mudo. Em vez de exigir que os outros mudem, através da cooperação mútua com eles, eu devo

evocar uma mudança em mim, e o mundo inteiro será mudado.

As pessoas sábias há muito tempo entenderam com suas experiências que não faz sentido tentar

mudar os outros. Ninguém vai mudar e tudo depende de mim. A sabedoria da Cabalá leva a

pessoa a uma percepção muito fácil da realidade e explica que cada um deve corrigir somente a

si mesmo e não os outros.

Mas, a fim de me convencer a mudar, eu preciso de um ambiente. Influenciando a sociedade, eu

me influencio. Eu aparentemente quero melhorar o ambiente, mas, em última análise, o ambiente

me influencia e me muda.

Eu jogo com o Criador e com o ambiente, mas isso é para me influenciar. Em última análise, eu

me mudo desta forma, tornando-me semelhante ao Criador. Então, eu atinjo a verdadeira

percepção da realidade e vou vê-lo como ele é visto a partir da Luz, do Criador.

O Criador nos deu essa oportunidade de mudar a nós mesmos gradualmente, para

constantemente produzir mudanças dentro de nós mesmos para se tornar mais semelhantes a

Ele, através do ambiente. Se eu percebo o mundo inteiro e todos os amigos como perfeitos e só

a mim como precisando de correção, ao me acomodar a eles, eu vou estar no trabalho constante

que me aproxima do nível do Criador.

Na verdade, não importa o que acontece no ambiente, quem está certo e quem está errado. Eu

percebo tudo isso como um jogo do Criador comigo. Ele é aquele que organiza todo este teatro

em torno de mim para me ajudar a me adaptar a Ele. Porque, se não há nenhum outro além Dele

e Ele é o bom que faz o bem, qualquer outra imagem que não venha da única força boa testifica

à minha corrupção interna que eu devo me corrigir.

Portanto, eu tenho que estar num processo de autoanálise o tempo todo, num diálogo interno

com o Criador, examinando o que Ele está me dando para ver, ouvir, saborear, tocar, pensar e

pensar. Que lembranças flutuam em mim, que pensamentos giram dentro de mim?O Criador cria um mundo inteiro em torno de mim para que eu não esqueça, nem por um

momento, que tudo isso é feito por Ele, e que estou realizando um diálogo incessante com Ele,

que quero descobri-Lo, e entender! É como uma criança a quem é dito algo, mas ela não entende

nada, e apenas olha de boca aberta. É assim que devemos tentar entender a cada momento o

que o Criador quer nos dizer através de todo esse mundo que Ele nos mostra.

Basicamente, há apenas um pequeno desejo de receber prazer, que sente a si mesmo como se

existisse num corpo físico com mãos e os pés, e em torno dele existem outras formas, outros

órgãos, todo um mundo. Este imenso mundo está mudando o tempo todo, tudo gira dentro dele.

Tudo isso só existe na minha percepção interior, no meu desejo de receber e é retratado dentro

da minha imaginação, mas não existe na realidade.

Nós vivemos em um mundo imaginário como esse. Todas as suas imagens são moldadas dentro

do nosso ego, de modo que vamos interpretá-las corretamente. Se aceitarmos a intenção de

doar sobre o nosso desejo de receber, em vez de todas as formas deste mundo, vamos sentir a

Luz Superior que preenche toda a realidade. Nós devemos chegar a tal forma final de percepção.

Todo o trabalho reside em corrigir nossa percepção interna, sermos liberados desta imaginação

patológica em que existimos agora, deste mundo imaginário, e chegar à Luz superior simples.

Através do trabalho com o ambiente, imaginando-nos como cada vez mais próximos da Luz

Superior, ou seja, da doação, “Ama ao próximo como a ti mesmo”, nós podemos mudar a nossa

percepção, e em vez deste mundo, nós sentimos o Mundo Superior.

Essa percepção distorcida que retrata este mundo físico para nós vai desaparecer e em seu

lugar vamos sentir o Criador, e ver que além Dele, não há nada. E nós existimos dentro Dele e

tudo está imerso num oceano de Luz branca. Esta será a verdadeira percepção, e não a

realidade imaginária em que vivemos hoje.


Posts recentes

Ver tudo

Paixão pelo conhecimento

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Paixão pelo conhecimento Artigo 145 A paixão pelo conhecimento chega a quem age para saber, que se esforçam e se aprofundam o máximo que podem.

Carta nº 6

Rabash. Carta nº 6 15 de abril de 1955, Londres Para os alunos: Recebi a carta de ... e é bom que ele interprete seus detalhes o máximo que puder. Quanto ao restante dos assuntos que ele me informou,

Plenitude na Vida

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Plenitude na Vida Artigo 809 "Uma pessoa não morre com metade do seu desejo realizado." "Quem tem cem deseja duzentos." A questão é: Como é a es

Comments


bottom of page