top of page

Antes da Criação do recem Nascido

 Leib HaLevi Ashlag (Baal HaSulam)/Shamati

Shamati 245



Ouvi em Jerusalém, no dia 21 de Iyar, abril-maio

"Antes da criação do recém-nascido, é declarado se a gota será um tolo ou um

sábio, etc., mas justo ou malvado, ele não disse."

Portanto, devemos nos perguntar: Afinal, um tolo não pode ser justo, pois

"Ninguém peca a menos que o espírito de loucura tenha entrado nele". Também

está escrito: "Aquele que é tolo todos os seus dias, como pode ter uma escolha

se está destinado a ser um tolo?"

E também devemos entender o que está escrito: "Eu vi os virtuosos, e eles são

poucos, Ele se levantou e os plantou em toda e qualquer geração." Devemos

interpretar que a palavra "poucos" significa que eles estão se tornando menos

numerosos e, ao plantá-los, eles se multiplicam. Devemos entender a alegoria

de "plantá-los" e também que a palavra "poucos" está no tempo presente.

Devemos interpretar que tolo ou sábio se referem apenas à preparação, como

em "dará sabedoria aos sábios". Isso significa que há pessoas que nascem com

uma vontade forte, um coração amplo e uma mente aguçada, e chamamos isso

de "sábio" porque essas pessoas são capazes de receber Sua sabedoria. Por

outro lado, há pessoas que nasceram tolas, o que significa que são pessoas

restritas, cujos pensamentos e desejos estão voltados apenas para si mesmas.

Elas não sabem o que significa sentir os outros, pois não entendem o que é doar

aos outros, portanto, como podem alcançar o grau de retidão? É impossível ser

justo até que alcancemos o amor pelo Criador e, se alguém não tiver amor pelos

outros, não poderá amar o Criador, como explicado nas palavras de Rabi Akiva:

"Amar seu amigo como a si mesmo é uma grande regra da Torá". Portanto, essas

pessoas não têm escolha. E, no entanto, "Ele não disse 'justo ou malvado'", o

que significa que elas têm uma escolha.

Devemos entender isso da mesma forma que nossos sábios disseram: "Eu vi os

virtuosos, e eles são poucos". Virtuoso significa pessoas que são capazes e

estão prontas para o Dvekut [adesão] com Ele; essas são poucas. É por isso que

Ele os plantou em toda e qualquer geração. Portanto, os tolos já têm uma

escolha: unir-se e aderir aos justos da geração. Com isso, eles receberão a força

e a capacidade de assumir o fardo do reino dos céus. Eles poderão realizar o

trabalho sagrado, pois os justos lhes doarão seus pensamentos e desejos. Por

meio da assistência que receberão dos justos da geração, essas pessoas

também poderão se elevar ao grau de justos, mesmo que, inerentemente, não

tenham essas qualidades. No entanto, por meio do Dvekut com os virtuosos,

elas receberão qualidades diferentes.

Portanto, ao plantá-los em cada uma das gerações, os virtuosos podem elevar

seus contemporâneos à altura dos graus. Se os virtuosos estivessem em uma

geração, os tolos não teriam como ascender à trilha da santidade.

Com isso, entenderemos a correção de plantá-los, pois o plantio multiplicou os

virtuosos. Da mesma forma, colocar uma planta no solo faz com que muitos

ramos cresçam.

Também podemos entender a questão da escolha. Se alguém nasce tolo, ou

seja, longe das questões de doação aos outros, por meio da conexão com os virtuosos, ele desejará receber novas qualidades dos virtuosos, que

influenciarão os tolos quando eles fizerem uma escolha, ou seja, se submeterem

e aceitarem a orientação dos virtuosos. Sem isso, sua Torá se tornará para eles

uma poção da morte. Somente por meio do Dvekut com os virtuosos é que eles

serão recompensados com o Dvekut com o Criador.

Sabe-se que, quando duas pessoas estão em frente uma da outra, a direita de

uma está oposta à esquerda da outra, e a esquerda está oposta à direita da

outra. Portanto, quando se fala de dois caminhos, 1) da direita, significa o

caminho dos justos, cujo interesse é apenas doar, e o caminho da esquerda é o

caminho dos malvados, pois seu interesse é apenas seu próprio benefício, pelo

qual eles são separados da Vida das Vidas e são considerados mortos, como

disseram nossos sábios: "Os malvados em suas vidas são chamados de

'mortos'".

Portanto, mesmo quando uma pessoa aprende no caminho da direita, ela ainda

está do lado oposto ao lado esquerdo do Criador. A Torá se torna para ela uma

poção de morte, pois, por meio da Torá e das Mitzvot [mandamentos], se estiver

no caminho da esquerda, sua intenção é aumentar seu corpo. Isso significa que,

anteriormente, ela queria apenas satisfazer seu corpo com os prazeres deste

mundo. Agora, ao observar a Torá e as Mitzvot, quer que o Criador também

satisfaça seus prazeres do próximo mundo. Assim, por meio da Torá, seus vasos

de recepção aumentam. Isso quer dizer que, antes, ela queria apenas a riqueza

deste mundo; depois, ao se engajar na Torá e nas Mitzvot, ela também quer a

riqueza do próximo mundo. Assim, a Torá causa a morte, pois, com isso, a

pessoa é completada com um desejo real de receber.

Isso é ainda mais verdadeiro quando ela se dedica à Torá e às Mitzvot em seu

lado esquerdo, o que significa que sua intenção inicial é apenas receber, o que

é considerado como esquerda. Isso certamente é errado. Entretanto, devemos

tentar alcançar o Dvekut nos tornando um com o Criador, e então não haverá

direita ou esquerda; a pessoa alcança a equivalência de forma com o Criador.

Nesse momento, sua direita é a direita do Criador. Seu corpo se tornou uma

vestimenta para a alma. Então, quando ela se envolver em assuntos corporais,

não se envolverá com as necessidades de seu corpo mais do que o adequado

para sua alma. Da mesma forma, quando uma pessoa faz uma roupa para seu

corpo, ela não fará a roupa mais longa ou mais larga do que seu corpo. Em vez

disso, ela tentará fazer com que a roupa se ajuste exatamente ao seu corpo.

Caso contrário, ela não usará a roupa.

Isso é como um alfaiate que traz um terno para um homem. Quando o homem

usa o terno em seu corpo, se a roupa for muito longa e muito larga, ele devolverá

o terno ao alfaiate. Da mesma forma, o corpo do homem deve vestir a alma, e o

corpo não deve ser maior do que a alma, o que significa que as necessidades

de seu corpo não devem ser excessivas, além do que ele precisa para sua alma.

No entanto, devemos saber que não é fácil alcançar o Dvekut com Ele, e "Nem

todos os que querem tomar o Senhor podem vir e tomar. É por isso que

precisamos dos justos da geração. Ao aderir a um professor de verdade, cujo

desejo é apenas doar, e então a pessoa deve fazer coisas de que seu professor

gosta, ou seja, odiar o que seu professor odeia e amar o que seu professor ama,

então ela pode aprender a Torá que não será uma poção de morte.

Esse é o significado de "Ele se levantou e os plantou em cada uma das

gerações", para que, dessa forma, possam se conectar com os virtuosos, e

também possam alcançar a verdadeira Dvekut com Ele.Que não lhe cause perplexidade o fato de haver necessidade de tolos no mundo.

Afinal de contas, todos eles poderiam ser sábios. Entretanto, tudo deve ter um

portador. É por isso que há necessidade de tolos - para serem os portadores do

desejo de receber. Com isso, aqueles que querem andar nos caminhos do

Criador podem receber ajuda deles, como está escrito: "Então eles sairão e

olharão para os cadáveres dos homens que transgrediram contra Mim, pois seu

verme não morrerá e seu fogo não se apagará, e eles serão um horror para toda

a carne." Como disseram nossos sábios, eles serão cinzas sob os pés dos justos,

pois assim os justos serão distinguidos, para que possam louvar e agradecer ao

Criador por tê-los aproximado. Isso é chamado de "cinzas sob seus pés", etc., o

que significa que eles serão capazes de seguir em frente vendo o fim dos

malvados.

Posts recentes

Ver tudo

Carta nº 6

Rabash. Carta nº 6 15 de abril de 1955, Londres Para os alunos: Recebi a carta de ... e é bom que ele interprete seus detalhes o máximo que puder. Quanto ao restante dos assuntos que ele me informou,

Plenitude na Vida

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Plenitude na Vida Artigo 809 "Uma pessoa não morre com metade do seu desejo realizado." "Quem tem cem deseja duzentos." A questão é: Como é a es

Carta nº 1

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash)/Cartas Carta nº 1 Terça-feira, Porção Tetzave: "E você falará a todos os sábios de coração, a quem eu enchi com o espírito de sabedoria", etc. Ao Meu Honorável Pai

Comments


bottom of page