top of page

Aquele que Endurece o Coração

Baruch Shalom Ha-Levi Ashlag (Rabash)

Artigo N.º 20, 1985




Está escrito em O Zohar (item 186): "Rabi Yitzhak disse: 'Não encontramos

ninguém que tenha endurecido seu coração diante do Criador como o Faraó'.

Rabi Yosi disse: 'Mas Siom e Ogue também endureceram seus corações'. Ele

respondeu: "Não é assim. Eles endureceram seus corações contra Israel, mas

não endureceram seus corações contra o Criador, como o Faraó endureceu seu

coração contra Ele, pois viu Seu poder e não se arrependeu."

Devemos entender a diferença entre não endurecer o coração diante do Criador

ou endurecer o coração contra Israel. Afinal de contas, todo o ódio que as nações

sentem por Israel se deve apenas ao fato de ele ser o povo do Criador, como

disseram nossos sábios [Shabat, 89]: "O que é o Monte Sinai? É que Sinaa [ódio]

desceu para os adoradores de ídolos".

Voltando ao tópico, o significado relativo ao ódio de Israel: O Faraó odiava o

povo de Israel e queria escravizá-lo. Moisés veio como mensageiro do Criador,

mas ele não quis ouvir e disse: "Quem é o Senhor para que eu obedeça à Sua

voz?" Siom e Ogue também odiavam Israel, mas qual é a diferença com relação

a Israel? O motivo pelo qual eles odeiam Israel. Será que Siom e Ogue

endureceram o coração porque o povo de Israel não era importante, e por isso

eles o odiavam? Ou eles endureceram o coração contra o Criador, porque o

Criador não era importante aos olhos deles, e por isso odiaram Israel? Nesse

caso, qual é a diferença com relação a Israel?

Devemos interpretar as palavras acima de O Zohar no trabalho. Precisamos

saber que há dois obstrutores que ficam em frente a uma pessoa e não permitem

que ela atravesse a barreira e alcance o amor pelo Criador, já que o homem

nasce com o desejo de receber para si mesmo e não pode fazer nada sem lucro.

Ou seja, a pessoa pode renunciar à percepção de si mesma para doar algo a

alguém se isso lhe der satisfação emocional. Nesse caso, ela pode renunciar à

percepção de si mesma.

Por exemplo, uma pessoa pode trabalhar para uma pessoa importante. Se,

digamos, o ADMOR de Lubavitch chegar ao aeroporto com uma mala, entregá-

la a um de seus seguidores e lhe der 100 dólares pelo trabalho. Certamente, o

seguidor não desejará receber o pagamento do rabino e o devolverá a ele. Se o

rabino lhe perguntar: "Por que você não quer receber? Eu lhe paguei muito pouco

pelo trabalho? Se eu tivesse dado 10 dólares a um carregador comum, ele teria

ficado feliz; por que você não quer receber?" O seguidor responderia: "Meu privilégio de servir ao rabino vale mais para mim do que qualquer fortuna no

mundo que o rabino possa me dar".

Vemos, portanto, que é possível trabalhar para uma pessoa importante sem

nenhuma recompensa. Por essa razão, quando alguém se envolve com a Torá

e as Mitzvot [mandamentos] para doar, ele certamente pode renunciar ao amor

próprio em prol do Criador. Nesse momento, o que o obstrutor do trabalho do

Criador faz para que a pessoa não seja capaz de trilhar o caminho do Criador?

Ele faz uma coisa: não permite que a pessoa descreva a grandeza e a

importância do Criador. Isso significa que toda a força que a Sitra Achra [o outro

lado] tem é contra o Criador. Ele lhe diz: "Sei que você é muito poderoso, o que

significa que pode superar seus desejos, ao contrário das pessoas de mente

fraca e coração mole. Você é o mais forte dos fortes. No entanto, a razão pela

qual você não está trilhando o caminho da verdade é que a meta não é tão

importante para você, a ponto de fazê-lo anular-se por ela. Com essa força, ele

o impede de atingir a meta.

Isso é o que O Zohar diz em nome de Rabi Yitzhak: "Não encontramos ninguém

que tenha endurecido seu coração diante do Criador como o Faraó". Ou seja,

ele não apreciava o Criador e dizia: "Quem é o Senhor para que eu obedeça à

Sua voz?" Esse é o primeiro obstáculo.

O segundo obstáculo é que, quando alguém vê que superou seus argumentos,

ultrapassa a razão e não leva em conta o que ela lhe diz, então ele vem com

uma queixa contra Israel. Ou seja, aquele que quer andar no caminho do Criador

é chamado de Yashar-El [direto ao Criador], que é diretamente ao Criador. Isso

significa que ele quer que todas as ações que realiza se elevem diretamente ao

Criador e não quer ter nenhuma outra intenção.

Por essa razão, o que o outro obstrutor faz? Ele degrada o Israel que há nele e

lhe diz: "O Israel que há em você é muito fraco, tanto em habilidade quanto em

força para vencer. Você tem um caráter fraco, e esse caminho que você quer

seguir - onde todos os trabalhos são apenas para o Criador - pode ser exigido

de um Israel que tenha todas as qualidades necessárias, ou seja, boa educação,

habilidades e coragem para lutar contra o mal que há nele. Ele pode andar nesse

caminho, mas você não".

Assim, com o que ele o obstrui? Ele não fala mais com ele sobre a importância

da meta, como no caso do argumento do Faraó, que contestou a importância da

meta. Em vez disso, ele diz a ele que a meta é muito importante, mas "Você não

é importante o suficiente para poder andar em um caminho tão elevado, então

ande no caminho do público em geral, e você não precisa ser excepcional.

Somente esse caminho é adequado para você".

Da mesma forma, encontramos em O Zohar [Shlach, item 63] a respeito dos

espiões: "'E eles voltaram de percorrer a terra'. "Eles voltaram" significa que

voltaram para o lado ruim, voltaram do caminho da verdade, dizendo: "O que

ganharemos com isso? Até hoje não vimos nada de bom no mundo.

Trabalhamos na Torá e a casa está vazia. Quem será premiado com esse

mundo? Quem virá e estará nele? Teria sido melhor se não tivéssemos

trabalhado tanto. Trabalhamos e aprendemos a fim de conhecer a parte desse

mundo, como o senhor nos aconselhou. 'Ele também emana leite e mel', esse

mundo superior é bom, como sabemos na Torá, mas quem pode ser

recompensado com ele? "No entanto, o povo... é forte", o que significa que o

povo que foi recompensado com esse mundo é forte, sem levar em conta o resto

do mundo - participar dele, ter grande riqueza - quem pode fazer isso e ser recompensado com ele? "No entanto, as pessoas... são fortes". ' O homem rico

responde grosseiramente, 'e também vimos os descendentes do gigante lá', o

que significa que você precisa de um corpo tão forte e poderoso quanto um leão,

já que a Torá enfraquece a força do homem."

Segue-se que o argumento dos espiões, de acordo com a interpretação de O

Zohar, é que Israel não é importante, conforme explicamos que é semelhante ao

argumento do segundo obstrutor, o que significa que todo o endurecimento é

contra Israel.

Com isso, podemos interpretar a diferença entre o argumento do Faraó, que

endureceu seu coração contra o Criador, e o argumento de Siom e Ogue, que

endureceram seus corações contra Israel. Faraó disse: "Quem é o Senhor para

que eu obedeça à Sua voz", o que significa que toda a sua força era para diminuir

a importância do Criador, como foi dito, que ele é o primeiro obstrutor. Siom e

Ogue, porém, endureceram o coração contra Israel, o que significa diminuir a

importância de Israel, o que corresponde ao segundo obstrutor.

Para isso, ou seja, para todos esses argumentos, não há outra tática a não ser

trilhar o caminho da fé acima da razão, desconsiderar seus argumentos e confiar

que o Criador pode ajudar a todos e que não há força que possa resistir ao poder

do Criador, portanto, devemos confiar que o Criador nos ajudará.

Encontramos algo assim em O Zohar [Beshalach, item 187]: "Rabi Yehuda

disse: 'Rabi Yitzhak disse: 'O Faraó era mais sábio do que todos os seus

feiticeiros. ...Em todo o seu lado, ele não viu que Israel teria a redenção... E o

Faraó não pensou que há outro laço de fé que governa todas as forças da Sitra

Achra. É por isso que ele endureceu seu coração." Depreende-se das palavras

de O Zohar que o Faraó quer dizer dentro da razão, que racionalmente é

impossível sair da autoridade deles, a menos que seja por meio do poder da fé

acima da razão, pois esse poder cancela todos os poderes do mundo.

Posts recentes

Ver tudo

Carta nº 6

Rabash. Carta nº 6 15 de abril de 1955, Londres Para os alunos: Recebi a carta de ... e é bom que ele interprete seus detalhes o máximo que puder. Quanto ao restante dos assuntos que ele me informou,

Plenitude na Vida

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Plenitude na Vida Artigo 809 "Uma pessoa não morre com metade do seu desejo realizado." "Quem tem cem deseja duzentos." A questão é: Como é a es

Carta nº 1

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash)/Cartas Carta nº 1 Terça-feira, Porção Tetzave: "E você falará a todos os sábios de coração, a quem eu enchi com o espírito de sabedoria", etc. Ao Meu Honorável Pai

Comments


bottom of page