top of page

Atuando em Garantia Mútua


Trechos selecionados das fontes


1. Likutei Halachot, Choshen Mishpat, Leis de Arvut, Lei 3-30

Não se pode observar a Torá e as Mitzvot sem Arvut (Garantia Mútua), ou seja,

quando cada um assume a responsabilidade pelo seu amigo. Uma vez que a

essência da observância da Torá, que é o desejo, é por meio da união [...]

quando cada um agrada seu amigo, não há disparidade de desejo entre eles, e

todos são incorporados em um desejo, pelo qual são incorporados no desejo

superior, que é o propósito da união.

2. Baal HaSulam, Matan Torá pt. 16

Se seiscentos mil homens deixassem de se preocupar em satisfazer as próprias

necessidades e não tivessem outra ocupação na vida senão a de estar sempre

vigilantes para que nada faltasse aos amigos. Além disso, deixe-os fazer isso

com grande amor, com todo o seu coração e toda a sua alma, tal como a Mitzvá

define: “Ame o seu próximo como a si mesmo”, então não há dúvida de que

nenhum membro da nação terá que se preocupar com sua própria subsistência.

Por isso, ele fica completamente livre de ter que cuidar da própria subsistência

e pode facilmente cumprir o preceito “Ame o seu próximo como a si mesmo”.

3. Baal HaSulam, Ainda não é hora de reunir o rebanho

Este é o significado da oração pública: o indivíduo está proibido de se excluir do

público e de orar por si mesmo, nem mesmo para agradar ao seu Criador, mas

apenas para orar pelo público em geral. [...] Porque quem se separa do todo para

pedir especificamente pela sua alma, não constrói, pelo contrário, provoca a

destruição da sua alma, como em (Midrash Rabbah, Capítulo 7, Art.6) “O todo

que é orgulhoso” etc., porque não pode haver ninguém que se exclua do público

sem se vestir com trajes de orgulho, e ai daquele que causar a ruína de sua

alma.

4. Noam Elimelech, Likutei Shoshana

É preciso orar sempre pelo amigo, porque por si mesmo ele não pode fazer

muito, pois o preso não consegue se libertar da prisão. Mas, para o seu amigo

ele recebe uma resposta imediata e cada um deve orar pelo seu amigo e assim

cada um trabalha pelo desejo do outro até que todos sejam atendidos. Disto se

diz que Israel são Arevim (fiadores) um do outro, da palavra Arivin (doces), pois

se adoçam através da oração, cada um pelo seu amigo e através dela são

atendidos.

5. Baal HaSulam, Arvut pt 17.

Todos de Israel são fiadores uns dos outros, quer cumpram ou não. Do lado

positivo, se você cumprir a garantia mútua de tal forma que cada um se preocupe

e atenda a todas as necessidades do seu amigo, então você poderá cumprir a Torá e as Mitzvot em sua totalidade, ou seja, trazer contentamento ao seu

Criador (ponto 13). E do lado negativo, se uma parte da nação não quiser cumprir

a garantia mútua (Arvut), mas preferir afundar-se no amor-próprio, então eles

fazem com que o resto da nação permaneça atolado na sujeira e na baixeza,

sem nunca ser capaz de sair da impureza.

6. Rabash, Degraus da Escada, Cartas, Carta 24

Você tem que estar em guarda o tempo todo, o dia todo e a noite toda, isto é,

quer sinta que é um estado de dia, ou quer sinta que é um estado de noite.

Porque dizemos ao Criador – “porque o dia e também a noite são Seus”. Portanto

também a noite, isto é, a escuridão da noite, também vem do Criador para o

benefício do homem, como está escrito “Dia após dia expressa palavra, e noite

após noite expressa conhecimento”. Segue-se disso que é preciso despertar os

corações dos amigos até que a chama suba por si mesma, [...] e assim você

poderá despertar o amor do Criador sobre nós.

7. Rabash, Todos Ajudarão Seu Próximo Artigo No. 4, 1984

Está escrito: “Não há ninguém que possa libertar-se da prisão”, mas é

precisamente o seu amigo que pode levantar o seu ânimo. Ou seja, seu amigo

o eleva do estado em que se encontra para um estado de vitalidade. E então,

ele começa a recuperar a força e a confiança na vida e na riqueza. E ele começa,

como se seu objetivo estivesse próximo dele. Conclui-se daí, que cada um tem

que estar atento e pensar em como pode ajudar o amigo a melhorar o seu humor,

pois no que diz respeito ao humor, cada um pode encontrar no amigo um espaço

que falta para preencher.

8. RABASH, Carta nº 40

Quando alguém começa a sentir o amor do amigo, a alegria e o prazer

imediatamente começam a despertar nele, pois a regra é que uma novidade

entretenha. O amor do amigo por ele, é uma novidade para ele, porque sempre

soube que era o único que se preocupava com o seu próprio bem-estar. Mas, no

minuto em que ele descobre que seu amigo se importa com ele, isso evoca,

dentro dele, uma alegria imensurável, e ele não consegue mais cuidar de si

mesmo.

9. Likutey Torá, Nitzavim 44b

Ao fazer o pacto, o amor deles será um amor eterno e indestrutível para sempre,

e nenhum impedimento os separará, pois eles estabelecem um vínculo corajoso

e forte entre eles, para unificar e conectar em seu amor em uma conexão

maravilhosa e acima do sentido e da razão. Embora o sentido e a razão tivessem

que interromper esse amor ou causar algum ódio, ainda assim, devido à

concretização do pacto, o amor deles deve ser eterno e o amor cobrirá todas as

transgressões e esta conexão corajosa, uma vez que eles fizeram a aliança e a

conexão, é como se eles tivessem se tornado uma só carne. E assim como não

se pode interromper o amor de si mesmo, também não se pode interromper o

amor do amigo.

Posts recentes

Ver tudo

Carta nº 6

Rabash. Carta nº 6 15 de abril de 1955, Londres Para os alunos: Recebi a carta de ... e é bom que ele interprete seus detalhes o máximo que puder. Quanto ao restante dos assuntos que ele me informou,

Plenitude na Vida

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Plenitude na Vida Artigo 809 "Uma pessoa não morre com metade do seu desejo realizado." "Quem tem cem deseja duzentos." A questão é: Como é a es

Carta nº 1

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash)/Cartas Carta nº 1 Terça-feira, Porção Tetzave: "E você falará a todos os sábios de coração, a quem eu enchi com o espírito de sabedoria", etc. Ao Meu Honorável Pai

Kommentare


bottom of page