top of page

BAAL HASULAM -1885 - 1954-



Baal HaSulam: O Guardião da Sabedoria Mística

Nas vastas terras de Varsóvia, em setembro de 1884, nasceu um dos grandes luminares da sabedoria mística judaica: Rabbi Yehuda Leib HaLevi Ashlag, conhecido como Baal HaSulam. Sua vida e obra transcendem fronteiras temporais, deixando um legado imortal na tradição cabalística.

Desde tenra idade, Baal HaSulam demonstrou uma afinidade extraordinária com os ensinamentos esotéricos. Aos 19 anos, foi ordenado rabino pelos líderes espirituais de Varsóvia, iniciando assim uma jornada dedicada ao estudo e ensino da Cabala. Por 16 anos, serviu como juiz ortodoxo judeu e professor, cultivando sua compreensão da sabedoria milenar.

Seu mentor espiritual foi o respeitado Rabbi Yehoshua de Porsov, que o guiou nos caminhos intricados da Cabala. Em 1921, Baal HaSulam imigrou para Israel, estabelecendo-se na Velha Jerusalém. Sua presença rapidamente se tornou uma referência entre os imigrantes judeus poloneses, que o reconheciam como uma autoridade na mística judaica. Assim, nasceu um círculo de estudantes ávidos por absorver seus ensinamentos, congregando-se para aprender as profundezas da Cabala.

Uma breve estadia em Londres entre 1926 e 1928 permitiu a Baal HaSulam expandir seus horizontes. Durante esse período, ele escreveu seu comentário sobre "A Árvore da Vida" do Ari, enriquecendo ainda mais o tesouro de conhecimento místico. Mesmo distante, permaneceu em estreito contato com seus alunos em Israel, trocando correspondências que seriam mais tarde compiladas no livro "Igrot Kodesh" (Cartas de Santidade).

O ano de 1933 testemunhou a publicação de tratados fundamentais: "Matam Torah" (A Doação da Torá), "HaArvut" (A Ligação) e "HaShalom" (A Paz). Contudo, suas maiores obras foram ainda por vir. "Talmud Esser Sefirot" (O Estudo dos Dez Sefirot), um comentário sobre os escritos do Ari, e "Persuh HaSulam" (O Comentário Sulam) sobre o Livro do Zohar, representam um legado monumental. O Talmud Esser Sefirot, publicado em 16 partes ao longo de seis volumes a partir de 1937, e o Persuh HaSulam do Zohar, em 18 volumes de 1945 a 1953, destacam-se como testemunhos da dedicação incansável de Baal HaSulam à disseminação da sabedoria mística.

Em sua introdução ao Livro do Zohar, Baal HaSulam oferece uma metáfora cativante: ele nomeia seu comentário "O Sulam" (A Escada), comparando-o a uma escada que conduz à riqueza suprema. Este simbolismo reflete não apenas a profundidade de sua compreensão, mas também sua missão de facilitar o acesso à sabedoria divina para todos os que buscam.

Baal HaSulam deixou um legado que transcende o tempo e o espaço. Sua vida dedicada à Cabala inspirou gerações e continua a iluminar os corações daqueles que buscam compreender os mistérios do universo e o propósito da existência. Em sua jornada, ele não apenas revelou os segredos do além, mas também mostrou o caminho para a união com a fonte primordial de toda a criação.


コメント


bottom of page