top of page

Carta 48 

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash)/Cartas

Carta 48 


13 de abril de 1959, Tel-Aviv

Olá e tudo de bom para meu amigo,

Eu li o livro sobre o qual você me escreveu e gostou, porque é exatamente como você disse.

Com relação à Pessach que se aproxima, está escrito: “A Torá falou em relação a quatro filhos”, etc., “e aquele que não sabe pedir, para ele você deve abrir”. Deveríamos interpretar a palavra “pedir” a partir das palavras “pedir sobre as chuvas”, o que significa oração. Ou seja, quem não sabe orar, a razão é que ele não tem uma deficiência, pois a oração pertence especificamente a um local de deficiência. Então, “a ele você deve abrir”, significando que um lugar de deficiência se abrirá para ele, ele terá pelo que orar e o Criador poderá conceder a ele a luz da Torá. É por isso que a Torá falou especificamente em relação a ele, para quem não tem deficiência, significa que ele não tem Kli (vaso) no qual receber, por isso é impossível dar a ele.

“A Torá falou” significa que ela nos ensina a qualificar-nos para sermos recompensados com a luz do Criador, que é tudo o que é valioso que nos foi dado, como está escrito: “Pois é sua sabedoria e inteligência diante dos olhos das nações ... pois que grande nação tem um Deus próximo a ela como o Senhor nosso Deus, sempre que O invocamos? ” Isso significa que o Criador está próximo de nós, na medida em que deseja conceder a nós toda a Sua bondade. Tudo o que falta é o chamado, a deficiência, pois somente onde há falta, há espaço para pedir, que é a oração, ou seja, o Kli para receber a abundância. Este é o significado de “e quem não souber pedir, a ele você deve abrir”, abrir um lugar de deficiência.

Quando ele tem a carência e exige e pede ao Criador para satisfazê-la, diz-se: "Quem tem cem quer duzentos". Daqui resulta que, satisfazendo a carência que se tem da espiritualidade, aparece uma carência maior. Ou seja, depois ele obtém Kelim (vasos) maiores, e através desses Kelim, ele recebe luzes maiores porque já pode invocar o Criador, como nossos sábios disseram: “Abra para mim uma fenda de arrependimento, como a ponta de uma agulha, e eu abrirei para você portões para vagões e carroças entrarem. Ou seja, uma pessoa deve manter o "para ele você deve abrir", mesmo que seja apenas como a ponta de uma agulha.

Existem dois significados para isso:

1. É tão pequeno quanto a ponta de uma agulha. Isso significa que, se houver uma deficiência pela espiritualidade, mesmo que a deficiência seja pequena, já é possível chamar o Criador para ajudá-lo a satisfazer a falta. Quando o Criador satisfaz a falta, então "Aquele que tem cem quer duzentos" de qualquer maneira, e é por isso que a própria luz cria o Kli, ou seja, o local da deficiência até que o Criador lhe prometa que Ele - a própria luz - abrirá para ele portões através dos quais vagões e carroças entrarão.

2. Outro significado nas palavras, “como a ponta de uma agulha”, é que a pequena falta o picará e o machucará como a ponta de uma agulha que pica. Quem tem uma carência, mas não a sente, isso ainda não o ajuda. Mas se sua falta o machuca, ele exige e pede ao Criador para satisfazer sua falta.

Que o Criador satisfaça favoravelmente nossa carência na  corporalidade e na espiritualidade, e que possamos ter um festival kosher feliz .

Do seu amigo que deseja a você e sua família o melhor,

Baruch Shalom HaLevi Ashlag.


Posts recentes

Ver tudo

Carta Nº 1

Yehuda Leib HaLevi Ashlag (Baal HaSulam)/ Cartas Carta Nº1 2 de maio de 1922, Jerusalém Para meu amigo... Agora, ao meio-dia, recebi sua carta datada do dia oito do primeiro mês, e suas palavras sobre

827. A piedade fez a ocultação

827. A piedade fez a ocultação Deveríamos perguntar sobre as palavras: “Toda a terra está cheia de Sua glória”. Além disso, está escrito no Zohar: “Não há lugar vago para você”. O que isso significa?

Comments


bottom of page