top of page

Carta nº 60

Baruch Shalom HaLevi Ashlag

(Rabash)/Cartas

Carta nº 60



11 de junho de 1962, Antuérpia 


Para meu amigo, 


recebi o que você escreveu, e nessas linhas você abre seu coração, o que está faltando e o que é abundante. Que você tenha sucesso no novo lugar. "Levante-se e suba" significa que o lugar causa. Ou seja, às vezes,  uma pessoa se eleva ao sentar-se, o que significa "sentar e não fazer", como disseram nossos sábios: "Sentou-se e não cometeu uma transgressão; é como se tivesse realizado uma Mitzvá (boa ação/correção)". Além disso, às vezes, a pessoa sobe de grau ao se levanar e fazer. Segue-se que "Levante-se e suba" se refere à sua ascensão ao se levantar e agir. Isso significa que o "fazer" é mais importante do que o "não fazer", como disseram nossos sábios: "O fazer repele o não fazer", já que o modo de agir do homem é amar o descanso, e no "fazer", quando ele precisa se levantar, ele tem mais trabalho, portanto, é mais importante. Na ética, "não fazer" é mais importante, conforme explicado no sagrado Zohar. Mas no revelado, considerado como a exterioridade da Torá, onde começamos com a exterioridade e, depois, quando mantemos a exterioridade, começamos a nos aprofundar na interioridade, a ordem do trabalho é que o "fazer" é maior.


Isso acontece porque, inicialmente, o homem escolhe apenas o descanso. Portanto, onde ele deve se levantar e não ficar "sentado e não fazer", é mais difícil para ele. E em todos os lugares onde há mais trabalho, isso é mais importante. Mas, uma vez que esteja acostumado ao trabalho, ele considera apenas os lucros.


"Não faça" indica que o prazer que aparece pela Torá e pelas Mitzvot, e há a questão de que aparece uma grande recompensa e prazer, que é proibido receber antes do fim da correção, como disseram nossos sábios: "O porco está destinado a retornar à Torá"... 


E vamos voltar ao nosso assunto. Devemos saber que o principal objetivo do homem neste mundo é ser recompensado com o doce prazer e o sabor da Torá. Somente quando alguém sente a doçura da Torá é que pode ver que é o homem mais feliz do mundo. 


Mas quando ele olha para o resto das pessoas, sente pena de como elas estão passando suas vidas em tormento e nunca sentem qualquer sabor na vida que valha a pena sofrer os tormentos que estão sofrendo no mundo em troca do prazer que estão recebendo pelo trabalho.


E nem mesmo eles conseguem explicar por que concordam em viver sob tais condições. Mas a verdadeira razão é que "Você vive contra a sua vontade", e é por isso que eles querem viver, e "Tudo o que um homem tem ele dará por sua vida". E mesmo que, de acordo com o cálculo que ele fará, seja melhor desistir de viver, ainda assim, o "Você vive contra a sua vontade" não o deixa pensar assim, mas o homem quer existir. 


Entretanto, precisamos entender por que o Criador faria tal coisa - que a vitalidade do homem será apenas por causa do reconhecimento e não por causa do prazer. De fato, isso é feito apenas para a correção do homem. Ou seja, por um lado, ele vê que não vale a pena viver para a corporeidade, o que significa que o prazer corpóreo não será suficiente para ele, devido ao trabalho que se deve pagar por isso. E, por essa razão, há espaço para a pessoa fazer uma introspecção e colocar todas as suas ambições na Torá. Se ele estiver satisfeito com a corporeidade, nunca concluirá que é melhor passar das necessidades corpóreas para as necessidades espirituais. Se não fosse pela questão de "Você vive contra a sua vontade", todas as pessoas cometeriam suicídio imediatamente para não sofrer tormentos. Acontece que "Você vive contra a sua vontade" o ajuda apenas a não escapar dos tormentos.


O sofrimento limpa as maldades da pessoa. Ou seja, o sofrimento faz com que a pessoa coloque todas as suas paixões somente na Torá e na Mitzvá [mandamento], o que a recompensa com a vitalidade da Torá. Sobre isso, dizemos: "pois são nossas vidas e a duração de nossos dias". Ou seja, queremos vidas longas não porque "Você vive contra a sua vontade", mas porque "São nossas vidas", que é realmente vida, e é por isso que queremos que esses dias se prolonguem.


E já que agora você fez o "Levante-se e suba", o que significa que foi para um novo lugar, "E você não tem nada que não tenha lugar" (Avot 4:3), você deve tentar ser sempre como em "Levante-se e suba", e não ficar ocioso, mas subir cada vez mais alto e ser recompensado com a alegria do brilho da luz da Torá. 


De seu amigo, Baruch Shalom HaLevi, 


Filho de Baal HaSulam.


Posts recentes

Ver tudo

Carta Nº 1

Yehuda Leib HaLevi Ashlag (Baal HaSulam)/ Cartas Carta Nº1 2 de maio de 1922, Jerusalém Para meu amigo... Agora, ao meio-dia, recebi sua carta datada do dia oito do primeiro mês, e suas palavras sobre

827. A piedade fez a ocultação

827. A piedade fez a ocultação Deveríamos perguntar sobre as palavras: “Toda a terra está cheia de Sua glória”. Além disso, está escrito no Zohar: “Não há lugar vago para você”. O que isso significa?

Opmerkingen


bottom of page