top of page

Carta nº14

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash)Rabash.

Carta nº 1421 de novembro de 1955, Londres

 

Carta nº14

21 de novembro de 1955, Londres

Aos alunos, que vivam muito tempo,

Vejo que vocês estão se comportando comigo olho por olho, o que significa que se eu não responder à sua carta imediatamente, vocês acreditam que já se desculparam e não podem mais me escrever. Na verdade, vocês estão certos; é tudo culpa minha que a correspondência não seja tão frequente. Rezo para que Ele me dê o conhecimento para corrigir todas as minhas falhas.

Ontem, dei uma palestra antes de voltar a Israel, para o grupo de alunos do rabino Dessler. Eu disse a ele o versículo: “Raba disse: 'A pessoa deve saber no seu coração se é um completo justo”. Eu disse que o arrependimento significa que a pessoa deve retornar à sua origem.

Ou seja, uma vez que a essência da criação, que é chamada de “homem”, é o desejo de receber, e o Criador é o doador, e quando uma pessoa retorna à sua raiz isso é chamado de “arrependimento”. Como é o arrependimento? É como Maimônides diz: “Até que Aquele que conhece os mistérios testifique que não voltará à insensatez”. Esse testemunho aparece em uma pessoa apenas depois que ela se arrependeu. Então, ela alcança o prazer superior, significando que o Criador coloca Sua Shechiná [Divindade] nele. Uma pessoa que se arrependeu significa que foi recompensada com Dvekut [adesão].

Este é o significado de: “A pessoa deve saber em seu coração, em sua alma”, significando que se ela quer saber se já se arrependeu, ela tem o escrutínio se já foi recompensada com a satisfação do Criador. Este é o sinal de que ela se arrependeu, significando que ela já está trabalhando para doar (Veja na Introdução ao Talmud Eser Sefirot ).

Este é o significado de "Buscar a paz e persegui-la”. Toda a disputa é apenas do desejo de receber, e “buscar a paz” pode estar no desejo de doar. Este é o significado do que está escrito: “E Israel semeou naquela terra, e encontrou cem portões”, significando cem por cento. Esta é precisamente a qualidade de Isaque que recebeu de Abraão, como está escrito: “E Abraão deu a Isaque tudo o que ele tinha”.

E RASHI interpreta o Midrash, “O rabino Yehuda diz: 'Isto é Guevurá [força ou poder]'. E o rabino Nehemia diz: 'Isto é bênção’”. Mas ambos se referiam à mesma coisa. O rabino Yehuda fala da perspectiva do trabalho, que Ele lhe mostrou o lugar do trabalho, que é precisamente a superação, e o rabino Nehemia fala da recompensa, onde especificamente pela superação, a pessoa é recompensada com a bênção, e a bênção é cem por cento. Ao ser recompensada com arrependimento por amor, todos os cem por cento do trabalho são abençoados, mesmo o tempo dos pecados.

E a pessoa é recompensada com tudo apenas pela superação, chamada “força”, e toda e qualquer força que uma pessoa provoca se une em uma grande quantidade. Isto é, mesmo que uma pessoa supere uma vez e tenha um pensamento estranho, e diz: “Mas eu já sei, por experiência, que logo não terei esse desejo pelo trabalho, então o que terei agora se superar um pouco…”. Naquele momento, ela deve responder que muitos centavos se juntam em uma grande quantia, ou seja, para a conta geral, seja para a raiz de sua alma ou para o público.

Talvez este seja o significado de “Os portões das lágrimas não estavam trancados”. Shaarei [portões] vem das palavras Se'arot [“cabelo” ou “tempestades”], que está vencendo. “Lágrimas” vem da palavra “rasgar”, que significa que há uma mistura com outros desejos, e somente no meio dos desejos há um breve momento de desejo de vencer em direção ao amor e ao medo do céu. “…não trancado”, mas sim esse momento se une em grande quantidade. Quando a quantidade está cheia, a pessoa começa a sentir a roupa espiritual.

Este é o significado da importância das lágrimas, significando que mesmo que a pessoa esteja no estado mais baixo e tenha desejos inferiores mas ainda tenha força para superar, significando que desde o ponto em seu coração ela almeja e anseia pelo Criador, então essa força é muito importante. Assim, mesmo quando uma pessoa está no exílio, quando seu ponto no coração é colocado sob outros governos, chamados “Divindade [ Shechiná ] no exílio” para essa pessoa, por um momento ela vence e santifica o Criador. E mesmo que ela esteja certa, por causa de todas as suas experiências, que depois cairá novamente, ainda é muito importante que uma pessoa possa dizer a verdade abertamente.

Isto é semelhante a uma pessoa que está entre os criminosos que estão jurando e amaldiçoando a obra do Criador. E entre eles, há alguns que dão sermões eloquentes e deixam você entender que não adianta servir ao Criador. Mas ainda há alguém lá que não consegue explicar tão bem o valor e a essência do trabalho, mas pode fazer algumas objeções, o que significa que profere protestos de que o que eles estão dizendo não é verdade. É bom que ela discorde, mesmo que não seja tão eloquente quanto os que juram. Isto se chama “os portões das lágrimas” e dr chama “muitos centavos se juntam em grande quantidade”.

Esperemos que o Criador abra nossos olhos e deleite nossos corações com “Diga a Sião que seu Deus é Rei”.

 

Posts recentes

Ver tudo

CartasCarta Nº 59

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) CartasCarta Nº 59 9 de junho, 1962, Shavuot, Antuérpia Para o meu amigo … Com relação à sua pergunta sobre as palavras dos nossos sábios: “Um filho teimoso e rebel

Carta nº 22

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash)/Cartas Carta nº 22 Manchester, 7 de julho de 1956 Para meu amigo, Li sua carta na qual você anuncia que tem momentos sombrios e momentos brilhantes. Saiba, meu ami

コメント


bottom of page