top of page

“ELEVANDO-SE ACIMA DA RAZÃO”

ELEVANDO-SE ACIMA DA RAZÃO

  Trabalhando com fé acima da razão

 

1. RABASH, Artigo nº 3 (1985), " O Significado da Verdade e da Fé".

Foi-nos dado o caminho da fé, que está acima da razão, ou seja, não levar em conta nossas sensações e razão, mas dizer, como está escrito: "Eles têm olhos e não veem. Têm ouvidos e não ouvem". Em vez disso, devemos acreditar que o Criador é certamente o Supervisor, e Ele sabe o que é bom para mim e o que não é bom para mim. Portanto, Ele quer que eu sinta meu estado como eu sinto e, para mim, não importa como me sinto, pois quero trabalhar para doar.

Portanto, o principal é que preciso trabalhar para o Criador. E embora eu sinta que não há plenitude em meu trabalho, ainda assim, nos Kelim do superior, ou seja, na perspectiva do superior, sou totalmente completo, como está escrito: "O excluído não será expulso dEle". Por isso, estou satisfeito com meu trabalho - por ter o privilégio de servir ao Rei mesmo no grau mais baixo. Isso também considero um grande privilégio o fato de o Criador ter permitido que eu me aproximasse dEle, pelo menos até certo ponto.

 

2. Baal HaSulam, Shamati, Artigo nº 4, "Qual é a Razão do Peso que se Sente ao Anular-se perante o Criador no Trabalho?"

A essência do trabalho de uma pessoa é apenas sentir a existência do Criador, ou seja, sentir a existência do Criador, que "toda a terra está cheia de Sua glória", e esse será todo o seu trabalho. Ou seja, toda a energia que colocarmos no trabalho será apenas para alcançar esse objetivo, e nada mais.

Não devemos nos deixar enganar pela necessidade de adquirir algo. Em vez disso, há apenas uma coisa de que a pessoa precisa: fé no Criador. Ela não deve pensar em nada, o que significa que a única recompensa que deseja por seu trabalho deve ser recompensada com fé no Criador.

 

3. RABASH, Artigo nº 24 (1991), "O que Significa que Alguém Deve Ter um Filho e uma Filha no Trabalho?"

O trabalho acima da razão deve ser uma entrega incondicional. Ou seja, a pessoa deve tomar sobre si o fardo do reino dos céus acima da razão. A pessoa deve dizer: "Quero ser um servo do Criador, embora não tenha nenhuma ideia sobre o trabalho e não sinta nenhum sabor no trabalho. No entanto, estou disposta a trabalhar com todas as minhas forças, como se tivesse realização, sentimento e sabor no trabalho, e estou disposta a trabalhar incondicionalmente". Nesse momento, a pessoa pode seguir em frente e, então, não há lugar para ela cair de seu estado, já que ela se encarrega de trabalhar mesmo quando está na terra, pois é impossível ser mais baixo do que a terra.

 

4. Baal HaSulam, Shamati, Artigo nº 40, "Qual é a Medida da Fé no Rav?"

A pessoa deve se retratar como se já tivesse sido recompensada com toda a fé no Criador e já sentisse em seus órgãos que o Criador conduz o mundo inteiro na forma de "O Bom que Faz o Bem", o que significa que o mundo inteiro só recebe o bem dEle. No entanto, quando a pessoa olha para si mesma, ela vê que é pobre e indigente. Além disso, quando observa o mundo, vê que o mundo inteiro está sendo atormentado, cada um de acordo com seu grau. Deve-se dizer sobre isso: "Eles têm olhos, mas não veem". "Eles" significa que, enquanto alguém estiver em várias autoridades, chamadas de "eles", eles não verão a verdade.

 

5. RABASH, Artigo nº 68, "A Ordem do Trabalho".

A fé acima da razão faz com que ele sinta seu inimigo dentro da razão - que o impede de alcançar o bem. Esse é o seu padrão. Isto é, na medida em que ele acredita no deleite e no prazer acima da razão, nessa medida ele pode vir a sentir o reconhecimento do mal.

Posteriormente, a sensação do mal produz a sensação de deleite e prazer, já que o reconhecimento do mal na sensação dos órgãos faz com que ele corrija o mal. 

Isso é feito principalmente por meio da oração, quando ele pede ao Criador para doar tudo, o que é chamado de Dvekut [adesão]. 

Por meio desses Kelim [vasos], o objetivo será revelado em uma Providência aberta, o que significa que não haverá necessidade de ocultação porque já haverá Kelim capazes de receber.

 

6. RABASH, Artigo nº 6 (1989), "O que Está Acima da Razão no Trabalho?"

A questão da "fé acima da razão" no trabalho significa que devemos acreditar, embora a mente não veja que é assim, e ela tem várias provas de que não é como ela quer acreditar. Isso é chamado de "fé acima da razão", o que significa que ele diz que acredita como se o visse dentro da razão. Isso é chamado de "fé acima da razão" no trabalho.

Em outras palavras, é muito trabalhoso para uma pessoa assumir isso; é contra a razão. Isso significa que o corpo não concorda com isso, mas, mesmo assim, ela o aceita como se estivesse dentro da razão. Essa fé requer a ajuda do Criador. 

 

7. RABASH, Artigo nº 2 (1987), " A Importância do Reconhecimento do Mal".

Quando ele assume a responsabilidade de acreditar na importância do Criador acima da razão, ele deve assumir que quer ir especificamente com a fé acima da razão. Embora lhe tenha sido dada a razão para ver a grandeza do Criador dentro da razão, ele prefere a fé acima da razão devido ao fato de "por causa da honra do Criador, ocultar o assunto". 

Isso é considerado como querer ir além da razão. Exatamente então ele se torna um Kli [ vaso] apto a receber a espiritualidade, já que não tem nenhuma preocupação consigo mesmo, mas todas as suas intenções são apenas de doar ao Criador. Por essa razão, não há mais medo de que, caso ele receba alguma iluminação, ela vá para os vasos de recepção, já que ele está sempre tentando sair do amor-próprio.


8. RABASH, Artigo nº 12 (1989), "O Que É a Refeição do Noivo?"

Uma pessoa deve aceitar a fé acima da razão, mesmo que não tenha nenhum sentimento e nenhum entusiasmo em tomar sobre si o fardo do reino dos céus. No entanto, ela deve concordar com esse estado e dizer que essa deve ser a vontade do Criador, que ela trabalhe e sirva a Ele nessa baixeza, de modo que não se importe com a euforia que sente em relação a essa fé, porque ela não se preocupa consigo mesma, ou seja, com seu próprio benefício, mas apenas com o benefício do Criador. Se Ele quiser que ela permaneça nesse estado, ela aceita isso incondicionalmente. Isso é chamado de "rendição incondicional".

 

Posts recentes

Ver tudo

Paixão pelo conhecimento

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Paixão pelo conhecimento Artigo 145 A paixão pelo conhecimento chega a quem age para saber, que se esforçam e se aprofundam o máximo que podem.

Carta nº 6

Rabash. Carta nº 6 15 de abril de 1955, Londres Para os alunos: Recebi a carta de ... e é bom que ele interprete seus detalhes o máximo que puder. Quanto ao restante dos assuntos que ele me informou,

Plenitude na Vida

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Plenitude na Vida Artigo 809 "Uma pessoa não morre com metade do seu desejo realizado." "Quem tem cem deseja duzentos." A questão é: Como é a es

Comments


bottom of page