top of page

Feliz na fé acima da razão

Feliz na fé acima da razão/fragmentos selecionados

 

1. RABASH, Artigo nº 12 (1991), "Estas Velas São Sagradas".

O mais importante é a oração. Isto é, deve-se orar ao Criador para ajudá-lo a ir além da razão, o que significa que o trabalho deve ser feito com alegria, como se ele já tivesse sido recompensado com a razão da Kedushá, e que alegria ele sentiria então. Da mesma forma, ele deve pedir ao Criador que lhe dê esse poder, para que possa ir além da razão do corpo.

Em outras palavras, embora o corpo não concorde com esse trabalho a fim de doar, ele pede ao Criador para poder trabalhar com alegria, como é adequado para alguém que serve a um grande Rei. Ele não pede ao Criador que mostre a grandeza do Criador, e então ele trabalhará com alegria. Em vez disso, ele quer que o Criador lhe dê alegria no trabalho acima da razão, que será tão importante para uma pessoa como se ela já tivesse razão.

 

2. RABASH, Artigo nº 28 (1987), "O Que é Não Acrescentar e Não Tirar no Trabalho?"

Ele deve acreditar acima da razão e imaginar que já foi recompensado com a fé no Criador que é sentida em seus órgãos, e ele vê e sente que o Criador lidera o mundo inteiro como o Bom que faz o Bem. Embora, quando olha dentro da razão, veja o oposto, ele ainda deve trabalhar acima da razão e deve parecer-lhe como se já pudesse sentir em seus órgãos que realmente é assim, que o Criador conduz o mundo como o bom que faz o bem.

Assim, ele adquire a importância da meta e daí deriva a vida, ou seja, a alegria de estar perto do Criador. Então, a pessoa pode dizer que o Criador é bom e faz o bem, e sente que tem força para dizer ao Criador: "Você nos escolheu dentre todas as nações, Você nos amou e nos quis", pois tem um motivo para agradecer ao Criador. E na medida em que ele sente a importância da espiritualidade, ele estabelece o louvor ao Criador.

 

3. RABASH, Artigo nº 23 (1990), "O que Significa o fato de Moisés Estar Perplexo com o Nascimento da Lua, no Trabalho? 

Devemos acreditar nos sábios, que nos dizem que todo o nosso trabalho, não importa como trabalhemos, se a pessoa atribuir o trabalho ao Criador, mesmo que seja em total baixeza, o Criador o desfrutará. A pessoa deve ficar feliz por poder fazer as coisas em um estado de baixeza.

A pessoa deve dizer a si mesma que Ele gosta desse trabalho, que está totalmente acima da razão. Pensando razoavelmente, esse trabalho não é considerado "trabalho", ou seja, um ato importante que o Criador aprecia. No entanto, ela acredita nos sábios, que nos disseram que o Criador desfruta, mas isso está acima da razão.

 

4. Baal HaSulam, Shamati, Artigo nº 42, "O que é o Acrônimo Elul no Trabalho?"

Aqueles que desejam trilhar o caminho da doação devem estar sempre contentes. Isso significa que, em qualquer forma que lhe sobrevenha, ele deve estar contente, pois não tem a intenção de receber para si mesmo. É por isso que ele diz que, de qualquer forma, se ele estiver realmente trabalhando para doar, certamente deve ficar feliz por ter lhe sido concedido trazer contentamento ao seu Criador. E se ele sente que seu trabalho ainda não é para doar, ele também deve se alegrar porque, para si mesmo, ele diz que não quer nada para si. Ele está feliz pelo fato de o desejo de receber não poder desfrutar desse trabalho, e isso deve lhe dar alegria.


5. Baal HaSulam, Artigo Shamati nº 96, "O que é Desperdício de Celeiro e Adega, no Trabalho?"

O propósito do trabalho está no literal e na natureza, já que no trabalho ele não tem mais espaço para cair mais baixo, pois já está colocado no chão. Isso ocorre porque ele não precisa de grandeza, pois para ele é sempre como algo novo.

Ou seja, ele sempre trabalha como se tivesse acabado de começar a trabalhar. E ele trabalha aceitando o fardo do reino dos céus acima da razão. A base sobre a qual ele construiu a ordem do trabalho foi a mais baixa, e tudo isso estava realmente acima da razão. Somente alguém que é verdadeiramente ingênuo pode ser tão baixo a ponto de proceder sem qualquer base sobre a qual estabelecer sua fé, literalmente sem apoio.

Além disso, ele aceita esse trabalho com grande alegria, como se tivesse conhecimento e visão reais sobre os quais pudesse estabelecer a certeza da fé. E nessa exata medida acima da razão, nessa mesma medida como se tivesse razão. Portanto, se ele persistir dessa maneira, nunca poderá cair. Pelo contrário, ele sempre poderá se alegrar, acreditando que está servindo a um grande Rei.

 

6. Baal HaSulam, Shamati, Artigo nº 42, "O que é o Acrônimo Elul no Trabalho?"

É impossível obter a revelação antes de receber o discernimento de Achoraim [posterior], discernido como ocultação da Face, e dizer que isso é tão importante para ele quanto a revelação da Face. Isso significa que a pessoa deve ficar tão feliz como se já tivesse adquirido a revelação da Face.

Entretanto, não se pode persistir e apreciar a ocultação como a revelação, exceto quando se trabalha em doação. Nesse momento, pode-se dizer: "Não me importo com o que sinto durante o trabalho porque o que é importante para mim é o fato de eu querer doar ao Criador. Se o Criador entender que Ele terá mais satisfação se eu trabalhar em uma forma de Achoraim, eu concordo."

 

7. RABASH, Artigo nº 805, " A Respeito da Alegria"

A alegria é um testemunho. Se uma pessoa se fortalece na questão da fé, acreditando que o Criador é Bom e faz o Bem, que não há ninguém acima dEle, embora na situação em que se encontra agora não tenha nada com que se alegrar, ou seja, com que ficar feliz, e ainda assim ela se reforça e diz que o Criador cuida dela de uma maneira boa e fazendo o Bem, se a sua fé for sincera, é lógico que ela deve ficar feliz e satisfeita. E a medida da alegria atesta o nível de sinceridade de sua fé.

Com isso, podemos interpretar o que é dito sobre o rabino Elimelech, que diria que, quando morresse e lhe dissessem para ir para o inferno, ele diria: "Se é isso que o Criador quer, eu vou entrar". Ou seja, isso é considerado uma Providência do bem e fazer o bem. Assim, ele está sempre feliz.

 

8. Baal Hasulam, Shamati, Artigo nº 42, "O que é o Acrônimo Elul no Trabalho?"

Quando alguém chega a um estado em que não tem apoio, seu estado se torna negro, que é a qualidade mais baixa no mundo superior, e isso se torna o Keter para o inferior, pois o Kli de Keter é um vaso de doação.

A qualidade mais baixa do mundo superior é Malchut, que não tem nada de próprio, o que significa que ela não tem nada. Somente dessa forma ela é chamada de Malchut. Isso significa que se alguém toma sobre si o reino dos céus - que está em um estado de não ter nada - com alegria, depois disso, ele se torna Keter, que é um vaso de doação.

 

Posts recentes

Ver tudo

Paixão pelo conhecimento

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Paixão pelo conhecimento Artigo 145 A paixão pelo conhecimento chega a quem age para saber, que se esforçam e se aprofundam o máximo que podem.

Carta nº 6

Rabash. Carta nº 6 15 de abril de 1955, Londres Para os alunos: Recebi a carta de ... e é bom que ele interprete seus detalhes o máximo que puder. Quanto ao restante dos assuntos que ele me informou,

Plenitude na Vida

Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) Artigos/ Registros Plenitude na Vida Artigo 809 "Uma pessoa não morre com metade do seu desejo realizado." "Quem tem cem deseja duzentos." A questão é: Como é a es

Comments


bottom of page